REFLEXÃ0

MAIS CONFORTO, MENOS CALOR HUMANO

Catharina Melo

Formada em Administração de Empresas. Entre tatuagens e rocks mais antigos, descobriu uma grande paixão pela escrita. Sua produção está mais voltada para poesias e pequenas crônicas com temáticas políticas e devaneios amorosos. A internet foi o mundo da publicação, ganhou visibilidade com o texto "Imagina que louco", extremamente compartilhado na época das passeatas de 2013. Vive em Recife, o coração está em Fortaleza.
Catharina Melo

Últimos posts por Catharina Melo (exibir todos)

images2Eu me lembro bem de um tempo em que não havia celular smartphone.

As conversas em sala de aula se davam em folhas arrancadas do caderno, e identificávamos quem falava pela letra e pela caneta.

O colégio em que eu estudava tinha período integral alguns dias na semana, e nós almoçávamos nos restaurantes próximos. Eu me lembro bem que conversávamos, ríamos, falávamos das aulas. Depois, eu ia com algumas amigas jogar xadrez com os universitários, ou ia para o clube de literatura, ou até mesmo para o laguinho em frente à escola para descansar do almoço.

Na volta para casa, todos juntos no ônibus; alguns dormiam, outros cantavam, outros conversavam, alguns estudavam. Interagíamos e sabíamos da vida do nosso colega mais qualitativamente. Participávamos. Nesse tempo, as fotos eram tiradas em máquinas fotográficas com filmes para serem revelados, e torcíamos para que as fotos saíssem boas. Revelávamos e guardávamos. Era um álbum de memórias.

Não existia o Tinder. Conhecíamos alguém na rua, pedíamos para um amigo em comum apresentar, saíamos várias vezes juntos até que algo acontecesse. “Fulano me disse que gosta de você”; “Eita, dá meu telefone pra ele!”. Eram horas no telefone, e ainda sobrava assunto pessoalmente. Comprávamos roupas sem pedir opinião das amigas, e o nosso “grupo de whatsapp” eram todos os amigos conversando, vendo filme na casa de alguém. Fazíamos festas, churrascos, ríamos, nos divertíamos, prestávamos atenção no outro.

Tenho saudade dessa humanidade que a gente perdeu.

Espalhe por aí...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Email this to someone
email

Catharina Melo

Catharina Melo

Formada em Administração de Empresas. Entre tatuagens e rocks mais antigos, descobriu uma grande paixão pela escrita. Sua produção está mais voltada para poesias e pequenas crônicas com temáticas políticas e devaneios amorosos. A internet foi o mundo da publicação, ganhou visibilidade com o texto "Imagina que louco", extremamente compartilhado na época das passeatas de 2013. Vive em Recife, o coração está em Fortaleza.

Deixe um recado

Veja os livros que amamos em BABEL SHOP