CRÔNICAS

REALIDADE E SONHO

Débora Böttcher

Formada em Letras, com especialização em Literatura Infantil e Produção de Textos. Participou do livro de coletâneas "Acaba Não, Mundo", do site "Crônica do Dia", onde escreveu por 10 anos. Publicou artigos em vários jornais. Trabalha com arte visual/mídias. Também administra o Portal Feminino Estilo [Mulher] 40 [www.estilo40.com]
Débora Böttcher

Últimos posts por Débora Böttcher (exibir todos)

“Quando os deuses querem nos punir, atendem nossas orações.” (Orson Welles)

origemOutro dia, revi o filme ‘A Origem’ – com Leonardo DiCaprio e Helen Page.  O cineasta Christopher Nolan (de “Batman – O Cavaleiro das Trevas” e “Amnesía”), conhecido por conceber narrativas confusas e pouco usuais, definia a trama como ‘uma ficção científica de ação que ocorre na arquitetura da mente’. Isso significa, sob o prisma dele, uma realidade em que é possível entrar em sonhos alheios, fazendo do personagem principal um terrível invasor do sono profundo com objetivo de roubar informações.

É um filme que demanda muita atenção para entender todas as nuances do roteiro – que é bem lapidado, mas cheio de interrogações. E como o filme é ‘rápido’ demais (meio trilogia Bourne), você se vê literalmente grudado na tela – senão, se perde do sonho e aí não entende nada mesmo.

Naquela noite, sonhei coisas tão absurdas quanto as da tela e acabei, durante o dia, divagando sobre sonhos de forma geral – aqueles que se sonha acordado e os do inconsciente.

No filme em questão, tem uma personagem que se perde da realidade e pensa que a vida real é aquela que ela sonha. Isso pode parecer totalmente contrário e oposto à razão – e o é. Se você inventar um mundo perfeito pra si mesmo, o lugar ideal para se viver, a vida sob sua única con/percepção, te chamarão de alienado e é bem provável que você ganhe um passaporte para o hospício mais próximo – endossado, inclusive, por aqueles que te amam.

sonhos-2Seria mesmo loucura desejar algo assim? Ser arrebatado pelo extraordinário e fora do comum, dias e noites em plena sintonia com seu desejo, sem mortes, perdas, dores, sem ausências, nem nada fora de contexto? Imagine um tempo sem tragédias ou catástrofes, um lugar sem assaltos e assassinatos… Parece bom, mas será mesmo possível encaixar-se num universo de excelências? Não sei responder… Sim, porque mesmo num ‘mundo perfeito’ até o que se deseja pode ser um tormento quando conquistado.

Vou dar um exemplo simples: imagine uma moça, jovem, que recebe a notícia de um médico de que, por um problema nos ovários, sua chance de ter filhos é uma em um milhão. Ela se sente a última das mulheres, pois tudo que desejava na vida era ser mãe. E passa os dias sonhando com um bebê impossível nos braços.

Até que um dia, por acaso ou descuido (quem poderá afirmar?), se descobre grávida. Susto e incompreensão: ela é solteira, o rapaz da ‘transa inconsequente’ não quer ser pai (nem por decreto), ela está às voltas com uma promoção no trabalho (também tão sonhada), e se vê, dentro de um milagre, às voltas com a maternidade – e o seu ‘mundo perfeito’ dissolvido em pedaços, uma vez que ser mãe é só parte da história sonhada.

“Que é mais nobre para a alma: suportar os dardos e arremessos do fado sempre adverso, ou armar-se contra um mar de desventuras e dar-lhes fim tentando resistir-lhes? Morrer… dormir… mais nada… Imaginar que um sono põe remate aos sofrimentos do coração e aos golpes infinitos que constituem a natural herança da carne. (…) Morrer… dormir… dormir… Talvez sonhar… É aí que bate o ponto. O não sabermos que sonhos poderá trazer o sono da morte, quando ao fim desenrolarmos toda a meada mortal que nos põe suspensos.”(…)
(Shakespeare, em Hamlet)

É, como se vê, tudo uma questão de ótica. Ou de sonhos: os que se quer apenas sonhar, e os que se quer efetivamente viver…


Espalhe por aí...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Email this to someone
email

Débora Böttcher

Débora Böttcher

Formada em Letras, com especialização em Literatura Infantil e Produção de Textos. Participou do livro de coletâneas "Acaba Não, Mundo", do site "Crônica do Dia", onde escreveu por 10 anos. Publicou artigos em vários jornais. Trabalha com arte visual/mídias. Também administra o Portal Feminino Estilo [Mulher] 40 [www.estilo40.com]

Deixe um recado

Veja os livros que amamos em BABEL SHOP