REFLEXÃ0

RELIGIÃO EM FOCO: SOMOS UM ESTADO LAICO

Débora Böttcher

Formada em Letras, com especialização em Literatura Infantil e Produção de Textos. Participou do livro de coletâneas "Acaba Não, Mundo", do site "Crônica do Dia", onde escreveu por 10 anos. Publicou artigos em vários jornais. Trabalha com arte visual/mídias. Também administra o Portal Feminino Estilo [Mulher] 40 [www.estilo40.com]
Débora Böttcher

Últimos posts por Débora Böttcher (exibir todos)

RELIGIAO_03Foi aos 15 anos que comecei a duvidar da existência de um Deus. De lá pra cá, minhas certezas de que um Ser Superior não existe só foram aumentando, de modo que, aos 47, tenho minha religiosidade bem definida – até porque, pesquisei, li, vi (e vejo) documentários e frequentei Igrejas de várias denominações, da Católica aos Mórmons, além do Espiritismo e afins. Dessa forma, respeito todas as crenças.

Mas ser agnóstico ou ateu num mundo religioso, desde os primórdios da humanidade, sempre foi um perigo – e hoje, cada vez mais, esse risco parece se alastrar feito pólvora.

Mas a ameaça não é só para esses: o fanatismo religioso está ganhando proporções alarmantes e ter uma religião diferente dos fundamentalistas (de qualquer religião) coloca qualquer um em risco. Aliás, para esses até seus semelhantes estão sob mira, já que se não cumprirem à risca os preceitos definidos, podem ser abatidos tambem dentro de suas próprias casas.

Foi o caso de uma jovem adolescente, em Novembro/2010, que depois de ser agredida pelos pais, tomou veneno e morreu vítima de uma embolia pulmonar. Dizem que a mãe ficou em choque. Mas em choque mesmo fiquei eu ao ler a matéria que dizia que a moça foi agredida com tamanha brutalidade porque, teoricamente, estava junto a um rapaz numa praça (pública, de modo que não devia estar fazendo nada de mais) da pequena cidade em que vivia (Cafelândia, SP) – o que desrespeitava as regras da religião da família.

Isso foi há quase cinco anos. Mas de lá pra cá, ouve-se cada vez mais casos semelhantes. Na semana passada, uma menina foi agredida a pedradas após sair de uma cerimônia de candomblé, e ontem um médium foi amarrado, amordaçado e assassinado – ambos no Rio de Janeiro. E esses são apenas os casos que tem destaque na mídia, mas deve acontecer muito mais e em diversos lugares.

RELIGIAO_02Em nome de Deus sempre se promoveu muitos desatinos. O Estado Islâmico, por exemplo, se julga no direito de decapitar pessoas, enterrá-las vivas, apedrejar até a morte os que não cumprem suas regras. Os Católicos também tiveram seu quinhão de babárie: queimaram mulheres em praça pública alegando bruxaria, confinaram moças solteiras grávidas em conventos (e mataram seus bebês), e por aí vai. Há uma linha de religiosos que não permite transfusão de sangue – e isso equivale até mesmo a deixar uma criança morrer se disso depender sua vida.

Mas atualmente são alguns Pentecostais que tem chamado mais atenção com seu fanatismo e intolerância contra as chamadas minorias e os de religião diferente – além de violarem túmulos de líderes de outras religiões e invadirem Igrejas destruindo imagens (que declaram ser profanação). Ou seja: desrespeitam totalmente a fé alheia, posicionando-se como donos de verdade absoluta. Fora os excessos financeiros que promovem entre seus fiéis, vendendo até ‘terreno no céu’ (?!). E alguns Deputados, Senadores e afins Políticos também tem colaborado para essa disseminação de sectarismo e segregação.

Onde isso vai parar? Se vivemos num Estado Laico, todas as religiões e não crenças tem que ser respeitadas. Quem vai fazer valer essa lei e estancar esses abusos absurdos?

Ouço muita gente dizer que quem “não tem Deus no coração não é digno de confiança ou amizade e é capaz de qualquer coisa.” (?!) Pois eu penso que se esse Deus efetivamente existir, não está gostando nada das atitudes de quem diz que O tem dentro de si… Socorro!!!!

Espalhe por aí...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Email this to someone
email

Débora Böttcher

Débora Böttcher

Formada em Letras, com especialização em Literatura Infantil e Produção de Textos. Participou do livro de coletâneas "Acaba Não, Mundo", do site "Crônica do Dia", onde escreveu por 10 anos. Publicou artigos em vários jornais. Trabalha com arte visual/mídias. Também administra o Portal Feminino Estilo [Mulher] 40 [www.estilo40.com]

1 Comentário

Deixe um recado

Veja os livros que amamos em BABEL SHOP