HIPERBREVES

UMA VIDA INVENTADA (II)

Débora Böttcher

Formada em Letras, com especialização em Literatura Infantil e Produção de Textos. Participou do livro de coletâneas "Acaba Não, Mundo", do site "Crônica do Dia", onde escreveu por 10 anos. Publicou artigos em vários jornais. Trabalha com arte visual/mídias. Também administra o Portal Feminino Estilo [Mulher] 40 [www.estilo40.com]
Débora Böttcher

Últimos posts por Débora Böttcher (exibir todos)

Aquilo não ficaria assim. Num futuro próximo o pai teria de escancarar seu ódio na frente da menina, com toda a contundência que o levara a matar, para que ela pudesse aceitá-lo contra a hipocrisia do mundo. Ele entraria em grotescos detalhes, revivendo sua ira diante da filha, e contaria por que precisou de uma faca para arrancar punhaladas de vida do corpo da mãe. E de como um revolver não teria bastado, já que ele precisava de algo que destruísse mais, numa extensão de seu corpo, numa extensão de seu braço. E que nos meses que se seguiram ao crime, centenas de vezes ele havia matado Consuelo, novamente e novamente, golpeando a noite vazia com o braço, feito um demente que abraça fantasmas.

| Maitê Proença | “Uma vida inventada”

Espalhe por aí...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Email this to someone
email

Débora Böttcher

Débora Böttcher

Formada em Letras, com especialização em Literatura Infantil e Produção de Textos. Participou do livro de coletâneas "Acaba Não, Mundo", do site "Crônica do Dia", onde escreveu por 10 anos. Publicou artigos em vários jornais. Trabalha com arte visual/mídias. Também administra o Portal Feminino Estilo [Mulher] 40 [www.estilo40.com]

1 Comentário

Deixe um recado

Veja os livros que amamos em BABEL SHOP