HIPERBREVES

UMA VIDA INVENTADA (III)

Babel Cultural

Portal colaborativo administrado por Débora Böttcher, onde muitas mãos escrevem e garimpam artigos e informações visando entreter com conteúdo que promova a reflexão e o conhecimento. Obrigada por nos ler: você é sempre bem-vindo!
Babel Cultural

Últimos posts por Babel Cultural (exibir todos)

Eram amigos, a menina e o sacerdote. Sempre que passava pela porta da igreja o religioso convidava-a a entrar e deixava que zanzasse por ali, brincando com os objetos sagrados da sacristia ou acendendo velas no ofertório. Às vezes, enquanto conversavam, ela o ajudava a limpar a parafina derretida das súplicas chamuscadas que os fiéis lançavam aos santos intercessores. O padre lhe dava medalhinhas com imagens e contava-lhe histórias da vida daquelas figuras, que, por terem sido pessoas comuns, a encantavam com a extravagância de seus feitos extraordinários. Ali ocorria o contrário do que se passava no colégio com as lorotas tediosas das crianças missionárias, sempre prontas a lançar mais uma alma desavisada em seus currículos de cristãos chatos. Os santos do padre tinham relevo. E graça!

| Maitê Proença | “Uma vida inventada”

Espalhe por aí...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Email this to someone
email

Babel Cultural

Babel Cultural

Portal colaborativo administrado por Débora Böttcher, onde muitas mãos escrevem e garimpam artigos e informações visando entreter com conteúdo que promova a reflexão e o conhecimento. Obrigada por nos ler: você é sempre bem-vindo!

Deixe um recado

Veja os livros que amamos em BABEL SHOP